sábado, 7 de abril de 2012

Até que a mesa os una - Kitima, Cape Town - África do Sul




Na metade do século 19, um jovem soldado baseado na Cidade do Cabo se apaixonou perdidamente por Elsa Cloete, filha do dono da fazenda Kronendal, uma das mais antigas da África do Sul, instalada em 1607. O pai proibiu o casamento e o soldado, desesperado, enforcou-se em um dos carvalhos da estrada que margeava a propriedade da amada. Triste, eu sei, mas já retomo este assunto.

A fazenda, que hoje abriga o delicioso restaurante tailandês Kitima, é um importante monumento nacional e um dos poucos exemplares da arquitetura em H, comum às propriedades da época. Os fundos da casa trazem a data de 1713, mas houve uma adição à fachada principal e o frontão traz a inscrição de 1800.



A propriedade, que foi declarada monumento nacional em 1961, é de um charme ímpar e teve seus inúmeros salões restaurados com base numa extensa pesquisa de época, preservando detalhes importantes como os murais originais com imagens do Castelo do Cabo encontrados na reforma das paredes. O trabalhos em ferro e o piso também foram preservados, e um tipo de papel de parede coral usado nos palácios tailandeses foi importado para se adequar ao contexto de uma casa colonial holandesa da época.



E por que papel de parede e comida tailandesa? Porque o restaurante procura homenagear o período em que a Companhia Holandesa das Índias comercializava bens entre a Europa, o Cabo da Boa Esperança e a Ayutthaya, a antiga capital do Reino do Sião.

Mas se arquitetura ou história não lhe enchem a alma, vá para encher o estômago pois o restaurante vale a pena.

Peça dumplings diversos, de frango com cebolinha,
de frango com batata ou um bolinho de camarão
com molho de coentro, pepino e chili.
Pato com curry vermelho.
Frango com manjericão e gengibre.



Pato com laranja à moda tailandesa.
E finalize com mousse de chocolate,
porque tailandês também não é de ferro.

E a pergunta que não quer calar. Por que contei a história mórbida do soldado no início deste texto? Porque Elsa, a filha do proprietário, morreu solteira e desgostosa e passou a assombrar a casa aparecendo em noites de lua cheia na janela da fachada principal.

Seu fantasma só se acalmou desde que, em 2007, o restaurante passou a honrar o casal montando uma mesa todas as noites com flores, vinho e comida para dois. Moral da história: nada como comida tailandesa pra apimentar uma relação... ainda que sobrenatural.


Elsa e o soldado. Finalmente juntos.


KITIMA - Cidade do Cabo, África do Sul
www.kitima.co.za
end: 140, Main Road, Cape Town/ Hout Bay 
tel: 021 790 8004
horários: de terça a sábado, de 17hs às 13hs
domingos: de meio-dia às 15:30hs



13 comentários:

  1. Que lindas as fotos...que romantico...que delicia deve ter sido o jantar!

    ResponderExcluir
  2. Respostas
    1. Foi mesmo. Muito interessante o lugar.

      Excluir
    2. Este comentário foi removido pelo autor.

      Excluir
    3. O seu. O dela deve ter sido sempre triste, sem o amado.

      Excluir
  3. Vc escreve lindamente e as fotos são uma delícia! Parabéns!

    ResponderExcluir
  4. Obrigada, Andréa e Letícia! Grande beijo pra vocês!!

    ResponderExcluir
  5. “Morri“ de vontade de conhecer!!!!!
    Bjs!
    mariana@ninamoraes.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. que horror, Mariana! Ela vai puxar seu pé!!!

      Excluir
  6. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  7. Parabéns pela matéria e pelas fotos! Seu jantar deve ter sido uma "marraavilha"!
    Abs,
    Rene

    ResponderExcluir